Início Cultura Vila de Picotes: turismo cultural e de natureza em São Mamede

Vila de Picotes: turismo cultural e de natureza em São Mamede

Compartilhe!

A Vila de Picotes foi visitada ontem pela equipe da Geografia da Paraíba durante a realização do quadro #ExpediçãoGeoPB, que estreia a terceira temporada em São Mamede, na Região Metropolitana de Patos.

Encrustada na parte oeste do município de São Mamede, a Vila de Picotes tem como cenário a belíssima Serra de Picotes, uma formação rochosa que se impõe na paisagem. O inselberg, como é chamada a rocha pela literatura científica, se formou após milhões de anos de processos intempéricos. A Vila de Picotes possui uma beleza singular. As habitações, construídas há mais de cem anos, refletem o processo histórico vivido pela comunidade. Os traços arquitetônicos são guardados até hoje, inclusive disponíveis o ano de construção na fachada de muitos dos prédios.

O acesso à vila é tranquilo. Da BR 230 até lá, são sete quilômetros percorridos em estrada de barro que está em excelentes condições para tráfego, até mesmo os veículos de passeio. Ao chegar na comunidade, o visitante se depara com uma paisagem natural incrível e com as construções seculares, como esta da foto, que data do ano de 1929, uma verdadeira relíquia arquitetônica e histórica.

Na capela da comunidade, o que tem de simplicidade, tem de beleza. Seus traços discretos refletem a beleza do interior paraibano, retratando também o capricho do povo na sua preservação, nos vasos de plantas bem cuidados e nas plantas do entorno da capela.

Por trás, temos a Serra de Picotes, criando um cenário que inspirou filmes como o clássico “Cinema, Aspirinas e Urubus”, “Desertos”, e até comercial de marca de carro, que consolidaram o local como “Vila do Cinema Brasileiro”, aumentando a afetividade dos moradores locais e evitando a sua despadronização.

Atualmente, o local serve de base para o turismo de aventura, recebendo visitantes de todos os quatro cantos, que são atraídos pelo misto de belezas naturais e culturais. Na serra, são praticados esportes como a escalada e o rapel, além das trilhas que incluem todas as dificuldades. A rocha é a moldura para a vegetação da caatinga, que se impõe por todos os meses do ano, seja durante a estação chuvosa em que as plantas ficam verdejantes, ou durante a estação seca, onde o verde perde espaço para a belíssima coloração acinzentada da caatinga, sua característica marcante que precisamos valorizar.

Mas e depois da trilha, tem onde comer? Ah, tem sim, e um tempero regional que dá água na boca. Sabe aquela expectativa que temos em desfrutar daquela comida saborosa depois da trilha? Encontramos o Vila de Picotes Restaurante, organizado por Rayane, que nasceu e se criou na região, passou um tempo fora, mas voltou para a Paraíba para fazer a diferença.

Para quem passa na BR-230 e vê a Serra de Picotes de longe, sempre fica a vontade de visitar e conhecer aquele belíssimo atrativo, mas a surpresa de quem chega supera as expectativas em saber que será encontrada uma vila com gente empreendedora e uma paisagem que junta o natural e o cultural na mesma foto, tornando a localidade ainda mais especial. Nós da #GeoPB tínhamos essa expectativa e tudo foi superado quando vimos tudo com nossos olhos, e tudo isso estará disponível em breve no nosso canal do YouTube com a nossa #ExpediçãoGeoPB realizada em São Mamede!

Clique aqui para seguir a gente no Instagram.

Clique aqui para se inscrever em nosso canal do YouTube.

Geografia da Paraíba

Print Friendly, PDF & Email
Compartilhe!
Deixe seu comentário!