Início Gerais Primeiras pancadas de chuva no Nordeste já podem ocorrer no fim de...

Primeiras pancadas de chuva no Nordeste já podem ocorrer no fim de setembro e início de outubro

Patos (Foto: arquivo/Folha Patoense)

Nas últimas semanas, que antecedem o início da primavera, a porção central do país tem enfrentado muito calor e tempo seco, causado por uma massa de ar seco e quente sobre as regiões Centro-Oeste, Sudeste, partes do Nordeste e do Norte.

Diferente das regiões Sul e Sudeste, o Nordeste não possui tanta variabilidade de temperatura e precipitação em curto período de tempo, devido à sua localização na porção equatorial e também porque o centro-sul do país sofre muita influência de sistemas frontais.

O regime de precipitação da região Nordeste é influenciado por diversos fatores como: ZCIT, Ondas de Leste, ZCAS e fatores oceânicos, como a temperatura da superfície do mar. A ZCAS, caracterizada por uma banda de nebulosidade orientada de noroeste para sudeste, possui maior atuação na porção sul da Bahia.

Principais fatores climáticos do período úmido no Nordeste

O fenômeno da La Niña está ocorrendo pelo terceiro ano consecutivo e segundo previsões climáticas, deve durar até o final da primavera, quando enfraquece e, gradualmente, dá lugar à neutralidade. Assim como os outros fatores meteorológicos, o impacto pode ser observado em padrões climáticos como seca e inundações em todo o mundo

O padrão de temperaturas dos principais oceanos, Atlântico e Pacifico, favorecem condições para ocorrência de chuvas no Nordeste Brasileiro.

Este evento está relacionado com um resfriamento em larga escala das temperaturas da superfície do oceano Pacífico. Desse modo, a La Niña está geralmente associada a condições mais úmidas em algumas partes do mundo e mais secas em outras.

Este evento está relacionado com um resfriamento em larga escala das temperaturas da superfície do oceano Pacífico. Desse modo, a La Niña está geralmente associada a condições mais úmidas em algumas partes do mundo e mais secas em outras.

Anomalia de temperatura da superfície do mar
Anomalia da temperatura da superfície do mar para os meses de setembro, outubro e novembro.

Além disso, os padrões do Atlântico Tropical também favorecem a formação de nebulosidade no Nordeste. A temperatura do oceano deve permanecer aquecida, com anomalias mais intensas, na porção litorânea do Nordeste.

A superfície oceânica aquecida do Atlântico Tropical, próxima ao Nordeste, favorece o transporte de umidade para o centro-norte do país, contribuindo para chuvas nas regiões Norte, Nordeste e porção Central.

Antecipação do período úmido no Nordeste brasileiro

Conforme a aproximação do início da primavera, as chuvas começam a se formar com acumulados mais significantes na região Nordeste.

De acordo com a projeção climática, a combinação destes dois fatores oceânicos: La Niña e o aquecimento do Atlântico Tropical, podem antecipar o período úmido da região Nordeste para o final do mês de setembro e o início de outubro.

Anomalia de precipitação
Mapa de anomalia de precipitação do modelo ECMWF.

Com relação a temperatura, a tendência é de que as temperaturas se mantenham dentro ou acima da média conforme o mês avança, e com a chegada do verão.

De modo geral, a precipitação na região Nordeste deverá permanecer dentro da média climatológica, porém o modelo indica a antecipação gradual do período úmido. Para mais informações e atualizações da previsão, acesse o site da tempo.com.

tempo.com

Print Friendly, PDF & Email
Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o portal Folha Patoense não publicará os comentários dos leitores. Voltaremos ao normal logo após o período eleitoral.